segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Carta aos des-esperados

Porque é preciso “nível superior” para compreender o diálogo dos loucos, que falam com simplicidade. E nisso sou especialista (e psicóloga). 
Com amor,
Por Grazielle Monica Pansard.
Intervalos, dez. 2015


Certamente este foi um longo e intenso ano. Os poderosos deste país que o digam, “beijinho no ombro”, Xico Sá. Como profetizaram no seu início 2015: “O ano em que tudo acontece”. Bingo! Obras do amor. Movimentado, sem dúvida. Estivemos em vários lugares: do acento quente do coletivo blumenauense lotado e mal das pernas (SIGA em frente ‪#‎sóquenão‬) ao gelado pico do Volcàn Osorno. Imensidão. Universos Paralelos. Voltemos ao movimento é preciso retornar, sempre.
MO-VI-MEN-TO, o lema tema do meu ano nomeado por mim quando ainda era um bebezinho, em janeiro. Por isso foi eleito pelo jabuti o M E U ano e de mais ninguém. Possessiva? Tá de brincadeira. Nasci touro com ascendente escorpião. Planeta regente: Vênus (para nossa salvação). Por isso, possessiva não. É que minha profissão é de cuidado e para cuidar de outros é preciso saber primeiro cuidar de si - do que é seu. Logo, quando digo que 2015 foi meu, não se trata de possessividade e sim amorosidade. Pelo que é meu. Ok, possessiva. Você venceu.

Buen.
Aproveitando o ensejo, quero homenagear aqui nesta carta alguns dos “meus” grandes companheiros, que estiveram e foram presentes para mim nesta longa caminhada suada sem fim. 
Lista dos top-pop-do-momento (adoro me repetir):
ELIANE BRUM – TOP MANAGEMENT – Sem sombra de dúvida! Dio Santo. Que mulher! Mulher não. Anjo caído, como já arrisquei outro dia. Deus, esse sádico, amputou as asas - BRUM!! - desse anjo só para forçá-lo a descer e intervir aqui na Terra (inferno!) e parar de ficar voando por aí. O mais engraçado é que essa Menina Quebrada ainda se diz avoada e insiste em sobrevoar as nuvens tempestuosas que há tempos pairam sobre os palácios deste país. Que horror! Que linda... Voe Bela! E não esqueça de voltar para me ver. Descanse quando precisar. Saudades.
XICO SÁ. Quando a breguice envaidece o coração agradece, créditos a mim. Xico, guru dos corações partidos. Só não sei como ele consegue misturar política nesse caldeirão dos desalmados. Sintonia querido. 2016 nos espera.
FABRÍCIO CARPINEJAR: “A máquina”. E tenho dito.
VIEGAS FERNANDES DA COSTA. Encontrei acalento e companhia à sombra da tua tabacaria. Obrigada.
CLARICE LISPECTOR. Eterna, musa inspiradora. Meu fantasma maior.
Os demais que me desculpem por não terem sido citados. Mas saibam, para sempre serão lembrados. A Memória (que criança travessa!) é uma grande amiga minha.

;)

Foto: Unsplash | Pixabay

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Número de visitas